Como guia de turismo autorizado de Florença, conheço como poucos todos os principais pontos turísticos da cidade, suas histórias, personagens e importância histórica e cultural. Fiz essa breve lista dos principais pontos de interesse da cidade, para orientar quem vem à cidade pela primeira vez.

Florença vista do Piazzale Michelangelo em uma tarde de inverno

Capital do estado da Toscana, Florença é conhecida no mundo todo como o berço do Renascimento. Por aqui passaram, ao longo dos séculos, diversos artistas, escritores, políticos e intelectuais que moldaram o pensamento ocidental moderno. Cidade de ricos banqueiros desde o século XIII, a burguesia florentina deixou para a posteridade obras de artistas até hoje influentes, como Giotto, Donatello, Leonardo Da Vinci, Michelangelo e Rafael, entre outros tantos pintores, arquitetos, escultores e escritores que nasceram, viveram ou passaram por aqui.

Escolher o que ver numa cidade que concentra tantas belezas não é fácil, Florença é um verdadeiro museu a céu aberto.

A experiência de conhecer a capital da Toscana é muito melhor através de uma visita guiada privada por seus principais monumentos, então aproveite e dê uma olhada também nos passeios que proponho ou monte seu passeio personalizado.

Clicando nos títulos das seções você pode conhecer alguns dos passeios que proponho por Florença.

Florença Essencial

O Centro Histórico de Florença é Patrimônio da Humanidade da Unesco desde 1982, por conta de sua grande beleza e pela quantidade enorme de monumentos que abriga. O centro da cidade é quase totalmente plano e pode ser conhecido a pé, pois cobre uma área que de leste a oeste se estende por aproximadamente 3 Km. Uma visita guiada pelo centro histórico dura aproximadamente 3 horas, e durante essa visita explico os principais pontos de interesse da cidade.

Piazza del Duomo

É aqui que está situado o complexo que engloba o Batistério São João Batista, a Catedral de Santa Maria dei Fiori, com sua majestosa Cúpula de Brunelleschi e o campanário, conhecido como Torre de Giotto. Além disso, atrás da catedral está localizado o Museo dell’Opera del Duomo, belíssimo museu que abriga as portas de bronze originais do Batistério, uma reprodução em tamanho real da fachada original da Catedral além de esculturas originais de Donatello e Michelangelo.

Piazza San Giovanni: o Batistério, o Duomo e a Cúpula de Brunelleschi

O acesso à catedral é gratuito, mas durante a alta temporada as filas são bem demoradas. Para visitar a catedral sem filas vale a pena comprar o ingresso para os demais monumentos, que dá acesso à Santa Reparata (ruínas no subsolo da Catedral) e ao interior da Catedral.

Há 3 tipos de ingressos para o complexo, que podem ser comprados no site oficial do Duomo (em inglês):

  • O Brunelleschi Pass (€30 adultos, €12 crianças de 7 a 14 anos, grátis para crianças de até 6 anos acompanhadas por um adulto) dá direito a um acesso a cada um dos monumentos (Cúpula, Campanário, Batistério, Museu e Santa Reparata), dura 3 dias do primeiro acesso. Para subir a cúpula (463 degraus, sem elevador) é necessário reservar horário no momento da compra do ingresso.
  • O Giotto Pass (€20 adultos, €7 crianças de 7 a 14 anos, grátis para crianças de até 6 anos acompanhadas por um adulto) não direito à subir a Cúpula, mas inclui a subida à Torre di Giotto (campanário, 414 degraus sem elevador, mas com possibilidade de paradas em andares intermediários) além de acesso ao Batistério, ao Museu e a Santa Reparata. Dura 3 dias do primeiro acesso e não é necessário reservar para subir o campanário.
  • O Ghiberti Pass (€15 adultos, €5 crianças de 7 a 14 anos, grátis para crianças de até 6 anos acompanhadas por um adulto) é ideal para quem não quer subir nem a Cúpula nem o Campanário. Dá acesso ao Batistério, ao Museu e a Santa Reparata. Dura 3 dias do primeiro acesso e não é necessário reservar.

Evite programar sua visita à catedral e ao batistério aos domingos, como é dia de missa os horários livres para visitação são bastante reduzidos.

Piazza della Signoria e Palazzo Vecchio

Piazza della Signoria: o Palazzo Vecchio e a Loggia dei Lanzi

Centro cívico e político da cidade desde a Idade Média, a Piazza della Signoria é um dos mais belos museus a céu aberto de Florença. É aqui, ao lado do majestoso Palazzo Vecchio, que está localizada a Loggia dei Lanzi, uma galeria com estátuas que vão desde a época romana (I século d.C) até estátuas de época Romântica, passando pelo Renascimento e Maneirismo. Conheça aqui a visita guiada que proponho à Piazza della Signoria e Palazzo Vecchio. O museu fica fechado às quintas-feiras e em algumas datas específicas. Para mais informações visite o site oficial nesse link (em inglês).

Do lado do Palazzo Vecchio fica o museu mais importante e mais visitado da Itália, a Galleria degli Uffizi.

Galleria degli Uffizi

Nascimento da Vênus de Botticelli
Nascimento da Vênus de Botticelli, uma das obras-primas da Galleria degli Uffizi

Um dos museus mais antigo da Europa abriga uma coleção inestimável de obras do Renascimento, Gótico e Maneirismo. Entre os quadros mais famosos do acervo está o famosíssimo “Nascimento de Vênus” de Botticelli, além de obras de Leonardo Da Vinci, Rafael, Michelangelo, Ticiano e de tantos outros pintores importantes do Renascimento Italiano.

O museu fecha às segundas-feiras e durante a alta temporada recomendo comprar os ingressos com antecedência e hora marcada, pois as filas podem ser bem demoradas. O único site oficial para comprar os ingressos é esse. O mesmo ingresso dá direito de acesso ao Museu Arqueológico Nacional de Florença e ao Opificio delle Pietre Dure.

A entrada é grátis no primeiro domingo do mês, o que causa filas gigantescas. Para saber mais sobre a visita guiada que proponho à Galleria degli Uffizi, clique aqui.

Ponte Vecchio

Ponte Vecchio, a ponte mais antiga de Florença, construída em 1345.

A ponte mais antiga da cidade é também seu cartão postal mais conhecido. A poucos passos da Galleria degli Uffizi, essa ponte histórica onde os carros não passam abriga dezenas de joalherias. Para conhecer sua história, curiosidades e muito mais, sugiro meu passeio Florença Clássica.

Galleria dell’Accademia

Davi de Michelangelo
Davi de Michelangelo, a principal atração da Galleria dell’Accademia

É o museu onde fica o Davi original de Michelangelo, além de outras estátuas do mestre do Renascimento, uma bela coleção dos instrumentos musicais dos grão-duques da Toscana e importantes pinturas que vão do Gótico ao Maneirismo, passando pelo Gótico Internacional e, é claro, pelo Renascimento. Aqui valem as mesmas regras da Uffizi, fecha às segundas-feiras e é quase obrigatório reservar ingressos no site oficial, pois as filas são demoradas mesmo durante a baixa temporada.

Grupos de até 4 pessoas acompanhadas de um guia de turismo oficial tem direito a entrada fura-fila, desde que tenham ingresso com hora marcada, passando à frente até mesmo da fila normal com hora marcada. Conheça aqui o passeio que proponho por esse belo museu.

Palazzo Pitti e Jardins de Boboli

O monumental Palazzo Pitti abriga diversos museus e os Jardins de Boboli

Residência oficial dos duques e depois grão-duques da Toscana, tanto Medici como Lorena, desde 1548, o gigantesco Palazzo Pitti abriga 5 impressionantes museus e os monumentais Jardins de Boboli, com 45.000 metros quadrados de extensão.

Entre seus museus, a Galleria Palatina abriga a maior quantidade de pinturas de Rafael em um único museu no mundo, em suas salas ricamente decoradas que já foram os aposentos dos grão-duques, quando esses moraram aqui. A Galeria de Arte Moderna, idealizada pelo grão-duque Pedro Leopoldo de Lorena, apresenta uma coleção invejável de obras dos Macchiaioli, corrente artística italiana precursora do impressionismo francês, entre obras de renomados escultores e pintores dos séculos XVIII, XIX e início do século XX. Já o Museo degli Argenti, mostra a incrível coleção de joias e artigos preciosos colecionados pela família Medici e, mais tarde, pela dinastia dos Lorena. Situado nos Jardins de Boboli, o pequeno Museo della Porcellana apresenta preciosas peças feitas principalmente na Itália e na Alemanha. Por último, o Museo del Costume é um museu de moda, cujas peças em mostra são trocadas a cada 2 anos, sempre com o acervo do Palazzo Pitti e curadoria de grandes nomes da moda.

Teoricamente existem pelo menos outros 2 museus no interior do Palazzo: os Apartamentos Reais, que são visitáveis somente com hora marcada, e o Museo delle Carrozze, que está fechado há mais de 5 anos e sem previsão de reabertura.

Piazza della Repubblica

Piazza della Repubblica, seu charmoso carrossel e seus cafés históricos

Situada no local que foi o centro cívico da cidade na época romana, seu lindo carrossel e seus charmosos cafés são lugares ideais para descansar e recarregar as energias durante um passeio no centro da cidade.

Mas atenção, como em muitos lugares da Itália, tomar um café sentado às mesas de um de seus bares custa mais caro do que tomar o mesmo café no balcão.

Basílica e Piazza Santa Maria Novella

Basílica de Santa Maria Novella em Florença

Apesar de ser uma igreja do período Gótico, essa importante basílica dominicana é a única igreja em Florença com uma fachada feita durante o Renascimento.

Além disso, seu interior abriga obras de arte essenciais de Giotto, Masaccio, Filippo Brunelleschi, Domenico Ghirlandaio, Paolo Uccello, Andrea Orcagna, Filippino Lippi e de tantos outros artistas do Gótico e Renascimento.

Perto da igreja há ainda a Officina Profumo-Farmaceutica di Santa Maria Novella que, além de ser considerada a farmácia mais antiga da Europa, produziu perfumes para a rainha da França Catarina de Medici e fundou a tradição francesa de perfumaria.

Piazza e Basílica de Santo Spirito

Basílica de Santo Spirito, bares e restaurantes na Piazza Santo Spirito

Último projeto do arquiteto renascentista Filippo Brunelleschi, a Basílica de Santo Spirito dá nome à praça mais boêmia de Florença.

No interior da igreja, a sacristia abriga o lindíssimo e delicado Crucifixo esculpido em madeira por Michelangelo.

Na praça, charmosos restaurantes oferecem ótimas opções para almoço, jantar ou aperitivo.

Piazza e Basílica de Santa Croce

Basílica franciscana de Santa Croce: o panteão dos grandes florentinos

A grande praça em frente à basílica hospeda, quatro vezes por ano, partidas do futebol medieval de Florença, conhecido como Calcio Storico ou Calcio in Costume.

Já o interior da belíssima basílica franciscana em estilo gótico é considerado um verdadeiro panteão de florentinos e toscanos ilustres.

É aqui que estão enterrados personalidades importantes como Michelangelo Buonarroti, Galileo Galilei e Nicolau Maquiavel, entre outras tantas personalidades importantes para a cultura e política italiana.

Além disso, a igreja abriga afrescos importantíssimos do mestre Giotto, que contam histórias de São Francisco, a quem a basílica franciscana é dedicada, e esculturas de Donatello.

Piazzale Michelangelo

É o melhor ponto panorâmico da cidade, a primeira foto que ilustra esse artigo foi tirada lá em um final de tarde de inverno.

Embora seja possível chegar lá a pé, como o Piazzale fica em um dos lugares mais altos da cidade, a melhor forma de chegar lá é de ônibus.

Os ônibus que levam ao Piazzale são dois, os números 12 e 13. Ambos têm o Piazzale como ponto final, a única diferença é que eles sobem por lados opostos do mirante. Pode-se pegar qualquer um desses ônibus na Estação de Santa Maria Novella.

Os bilhetes para os ônibus são vendidos em tabacarias (onde há grandes placas com um T branco em fundo azul ou preto) ao preço de €1,80 e devem ser validados, assim que você subir a bordo, nas máquinas que ficam perto das portas do ônibus. Uma vez validados os bilhetes valem por 90 minutos, portanto é perfeitamente possível utilizar o mesmo bilhete para ir e voltar do Piazzale.

É muita coisa? Contrate um guia autorizado!

Enfim, Florença é fonte inesgotável de atrações, uma lista exaustiva de todas elas não caberia em um blog, mas em um livro de 871 páginas (esse livro existe, é conhecido como “Guida Rossa” e é publicado, só em italiano, pelo Touring Club Italiano).

Espero que esse artigo tenha servido como aperitivo e como referência do que é essencial conhecer na cidade. Normalmente, se alguém quer conhecer bem a cidade, sugiro que fiquem aqui pelo menos pro 4 dias. Obviamente, uma visita guiada com um guia brasileiro autorizado é a melhor forma de explorar e conhecer as histórias e curiosidades por trás de cada monumento e obra de arte, portanto se quiser descobrir o melhor que a cidade tem a oferecer, não perca tempo e entre em contato comigo.

Boa viagem!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.