Artigo atualizado em 1º de julho de 2022

Muita gente me pergunta se vale a pena alugar carro quando vai passar alguns dias em Florença e na Toscana. Não existe uma resposta simples, existem vários fatores que devem ser avaliados.

Nesse artigo você vai encontrar as respostas para essa e outras perguntas e dicas de como dirigir na Itália.

ZTL – Zona de Tráfego Limitado

Pelas suas ruas estreitas e pelo fato de Florença ser Patrimônio da Humanidade pela Unesco, seu centro histórico é uma ZTL (Zona de Tráfego Limitado), o que significa que somente veículos de residentes, taxis e demais veículos de serviço e de emergência podem circular.

Grande parte do centro é também zona exclusiva para pedestres, onde nem mesmo os carros de residentes podem trafegar. Somente os considerados “meios públicos”, como taxis, ambulâncias e a polícia podem transitar nessas áreas.

Carros alugados por hóspedes de hotéis podem entrar no centro histórico somente para carregar e descarregar os passageiros e suas bagagens, exceto em vias pedonais. Os hotéis devem ter estacionamento proprio e manobrista, e também devem comunicar à polícia sobre a entrada e saída dos veículos a fim de evitar multas.

Portanto, caso precise entrar no centro com carro alugado, ligue para seu hotel e certifique-se que eles oferecem tais serviços.


Caso você tenha optado por um B&B ou um apartamento alugado, provavelmente não terá esse serviço à sua disposição, portanto pare o carro em um estacionamento credenciado.

Estacionamento em Florença

Se você não está hospedado em Florença mas fazendo um bate e volta à Florença, um dos melhores lugares onde os carros alugados podem entrar na ZTL é o estacionamento da Estação de Santa Maria Novella. Para isso, só existem duas ruas por onde é possível entrar no centro para chegar ao estacionamento sem levar multas, e é preciso seguir à risca as placas de sinalização.

Ainda assim, o estacionamento na estação custa uma pequena fortuna, €3 por hora, portanto não é nada conveniente ter o carro lá parado por 2 ou 3 dias. Além do preço do aluguel do carro, você pagará um estacionamento caríssimo.

Há outros estacionamentos credenciados na cidade que “descarregam” a entrada do carro alugado, comunicando à polícia que o carro está no estacionamento. Esse serviço é indispensável, e se você entrou de carro no centro histórico (ZTL) nem pense em estacionar na rua.

Já se você pretende ter Florença somente como base para viajar pelo estado da Toscana e arredores, a coisa muda de figura. Nesse caso, sugiro que procure um hotel fora do centro histórico onde os carros podem circular normalmente. De qualquer forma, se esse for o caso, tenha certeza de que o hotel tem um estacionamento, pois mesmo fora do centro histórico é muito difícil conseguir vagas de estacionamento. Ainda assim, caso queira jantar no centro de Florença, melhor evitar o carro, peça um taxi ao hotel. Carro aqui só para viajar para fora da cidade.

Economize na locação

Se o carro é indispensável para sua viagem, recomendo procura-lo através do site DoYouItaly, um motor de busca que apresenta as melhores ofertas de alugueis de carro em toda Itália.

Em Florença as locadoras de carro com melhores preços não estão no centro da cidade, e sim no aeroporto. Antes da pandemia era possível encontrar carros a um preço baixíssimo através desse site, mas durante a pandemia as locadoras de carro devolveram os veículos às montadoras e agora, tendo que renovar a frota, os preços estão altíssimos.

Muita atenção às coberturas incluídas no de seguro da locação. Muitas vezes os motores de busca oferecem ofertas a preços mais baixos sem cobertura completa, mas o barato pode sair caro.

A desvantagem da locação com o seguro básico é que em caso de qualquer incidente, de um pequeno arranhão a um furto ou acidente, a franquia pode ser bastante cara, portanto avalie bem se vale ou não a pena, pois o barato pode sair caro.

Optando pelo aluguel somente com a cobertura básica, faça uma vistoria completa no veículo antes de sair com ele da locadora. Se houver qualquer dano, arranhão, amassado ou peça quebrada que não esteja anotado no contrato de locação, procure o funcionário da companhia e faça com que ele anote o dano e assine o contrato.

Não esqueça de abastecer o carro antes de devolve-lo, as multas para quem não completa o tanque antes da devolução fazem a locação mais barata não valer a pena.

A maioria dos postos de combustível é self-service

Abastecendo na Itália

Para abastecer nos postos italianos self-service, você deve inserir seu cartão de crédito na máquina ao lado da bomba de combustível e digitar sua senha para que a operadora faça a pré-autorização da compra.

Depois disso, selecione a bomba de combustível mais próxima e abasteça o carro até o automático.

Após recolocar a mangueira na bomba, vá até a máquina onde você inseriu o cartão e pegue seu recibo. Algumas locadoras exigem o recibo de abastecimento em um posto a menos de 10 km da locadora, portanto, no caso de Florença, abasteça no posto que fica logo antes do aeroporto.

Escolha a cabine de pedágio de acordo com o método de pagamento: cartão ou dinheiro.

Pedágios

Outra coisa que confunde muito os brasileiros que viajam de carro pela Itália é o pedágio. Aqui se paga somente o trecho da estrada utilizada, na saída da estrada.

Funciona assim: na entrada da estrada você passa por um pedágio e pega um cartão. Conserve esse cartão, pois ele será necessário para calcular quanto você irá pagar de pedágio quando sair daquela estrada.

Na saída da estrada você deve inserir esse cartão numa máquina que calcula a tarifa. Existem tanto cabines de pedágio automáticas, onde você pode pagar com cartão de crédito ou em dinheiro, como cabines com operadores, que aceitam somente dinheiro.

Escolha a cabine do pedágio de acordo com o método de pagamento, há cabines que só aceitam dinheiro e outras que aceitam tanto cartão como dinheiro.

Habilitação Internacional, precisa?

Muita gente me pergunta se precisa da habilitação internacional ou da PID.

Em teoria sim.

Na prática, nunca soube de ninguém que tenha tido a locação recusada por apresentar somente a CNH brasileira. Esse é um assunto polêmico.

Por muito tempo a lei italiana não reconhecia como equivalente a habilitação brasileira, mas ao mesmo tempo permite que brasileiros dirijam na Itália, desde não sejam residentes no país por até 6 meses.

Se não quiser se arriscar, faça a PID ou uma tradução juramentada da sua CNH, mas saiba que dependendo do estado ou município brasileiro ela pode demorar até 3 semanas para chegar e não é barata. Além disso, a PID é só uma caderneta com tradução oficial da sua CNH em várias línguas como inglês, francês, espanhol, russo, árabe, japonês, chinês, mas não em italiano.

Saindo da Itália com carro alugado

É importante saber também que se você pretende viajar por vários países da Europa com um carro alugado, ou alugar o carro em uma cidade e entrega-lo em outra, pagará uma taxa extra por isso. Essa taxa normalmente é de €110, mas pode variar de acordo com a locadora.

Se você pretende sair da Itália, com o carro tenha certeza que a locadora permite isso. Existem locadoras que não têm sede ou operações em outros países e não permitem, sob o risco de uma multa altíssima (e eles controlam isso através de um chip GPS no carro), a saída do veículo do território italiano.

Agora, se você quiser fazer passeios pelas vinícolas do Chianti ou Montalcino e experimentar os maravilhosos vinhos da Toscana sem se preocupar em dirigir, a melhor opção é entrar em contato comigo e reservar seu passeio privado e exclusivo!

Aperte os cintos e boa viagem!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.